sábado, 5 de outubro de 2013

MEGALÓPOLES TECNOLÓGICAS: O CASO DE SEUL, NA CORÉIA DO SUL






Seul (capital da Coreia do Sul) é uma das cidades com melhor desempenho na aplicação das TICS. A pesquisa foi realizada pela Network Society City Index, em parceria com a Ericsson, em 2011. Após analisar 26 indicadores em 25 países, as duas empresas concluíram que Seul possui um elevado nível de tecnologia em questões como infraestrutura, meio-ambiente, segurança, saúde e educação.

O lema de Seul é Bhalli-Bhalli. Algo como “Mais rápido, mais rápido”!

Arranha-céus modernos, muitos com entradas marcadas por esculturas ao ar livre, simbolizam o crescente poder econômico da Coreia do Sul, terra de empresas icônicas, como Samsung, LG e Hyundai.

Com uma população de 10 milhões e 500 mil habitantes, Seul, capital da Coreia do Sul, fica localizada ao norte do país e possui uma área um pouco maior que 605 quilômetros quadrados de extensão. Seul é o principal e mais desenvolvido centro financeiro e comercial da Coreia do Sul, e um dos principais do continente asiático e do mundo.


TECNOLOGIA AVANÇADA:

Na Coreia do Sul, 97% por cento dos domicílios têm internet e a penetração da banda larga (91%) é a maior do planeta. (Jornal O Globo, 2012).

A Coreia do Sul fez da inclusão digital uma de suas alavancas econômicas, liderando o último ranking mundial de tecnologia da informação e comunicação da União Internacional de Telecomunicações, um órgão da ONU. 


Antes de entrar no trem, jovem faz compras num supermercado digital com um aplicativo que
escaneia os códigos de barra da prateleira virtual e agenda entrega a domicílio.




EDUCAÇÃO DIGITAL:

Um dos grandes investimentos do governo Sul Coreano é a SMART EDUCATION — sistema que permite aos alunos estudar onde e quando quiserem. Até 2015, todo o currículo escolar estará digitalizado, com conexão sem fio em 100% das escolas. A substituição gradual dos livros pelos notebooks ou tablets não será problema para as novas gerações sul-coreanas, que desde cedo têm acesso à tecnologia. 





    Hiperconectadas, as crianças estão prontas para um futuro sem lápis! 
(Jornal O Globo, 2013).


CONECTIVIDADE:




A Cidade já oferece internet de alta velocidade nas ruas e no metrô. É possível ver vídeos on-line e enviar mensagens de e-mail enquanto se caminha das ruas movimentadas dos bairros da capital.

Até o fim deste ano de 2013, o governo sul-coreano quer todas as casas conectadas a um gigabit por segundo. O projeto SMART SEUL, um investimento de US$ 800 milhões, prevê a expansão dos serviços online e da segurança digital na capital até 2015, quando 80% da população deverão ter smartphone.

A promoção oficial da banda larga começou na década de 90, enquanto os americanos, por exemplo, apostavam no acesso discado. Incentivos foram dados às empresas e assinaturas foram subsidiadas, assim como a compra de PCs e até aulas para quem queria navegar na web.



METRO DE SEUL:

No eficiente metrô de Seul, que transporta seis milhões de pessoas por dia, os usuários também podem acessar a web de graça de qualquer vagão. Os sul-coreanos têm a rede mais rápida do mundo — citada pelo presidente Barack Obama como um exemplo a ser seguido pelos EUA. A média é de 17,5 Mbps (megabits por segundo), de acordo com pesquisa da empresa de tecnologia Akamai. O mesmo relatório indicou que a velocidade média da web brasileira é de 1,8 Mbps.




Nas estações de Metrô, há painéis eletrônicos nas saídas das estações que informam aos passageiros o tempo de espera para os ônibus de conexão.



'SONGDO': A CIDADE DO FUTURO: INTELIGENTE, SUSTENTÁVEL E CONECTADA.



"CIDADE GLOBAL DO FUTURO"

Com um investimento de quase R$ 80 bilhões, o governo coreano está construindo a cidade global do futuro. A 65 quilômetros de Seul, está sendo erguida uma metrópole com que há de mais moderno em termos de arquitetura, urbanismo, sustentabilidade e tecnologia.

Songdo quer ser pioneira em absolutamente todos os aspectos:


  1. Será uma cidade "verde", com 40% de sua área destinada a parques e praças;
  2. Será a cidade sem trânsito, com todo o sistema viário planejado para aumentar a fluidez, além de altos investimentos em metrô, bondes elétricos e até táxis aquáticos elétricos;
  3. As ruas terão sensores no asfalto, que ajudam a entender em tempo real os deslocamentos, aumentar o tempo dos sinais em caso de congestionamentos e até diminuir a iluminação das vias quando ninguém estiver passando, para economizar energia;
  4. O lixo é sugado diretamente das cozinhas residenciais por uma vasta rede subterrânea de túneis ligada a centros de processamento de lixo, onde cada resíduo é automaticamente classificado, desodorizado e tratado. A ideia é usar parte desse lixo doméstico para produzir energia renovável;
  5. Não há caminhões de lixo passando pela cidade nem grandes lixeiras na frente dos edifícios;
  6. A Empresa Samsung está desenvolvendo sistemas que ligam dispositivos domésticos aos celulares dos moradores da cidade.



REFLEXAO:

Para especialistas, o modelo do país asiático deve inspirar o Brasil a perseguir um desenvolvimento mais globalizado, com destaque para o ensino e avanços tecnológicos e redes sustentáveis de planejamento urbano!

E VOCÊ, O QUE ACHA?







2 comentários:

Márcia disse...

Ana estou amando seu blog. Gosto muito do assunto mídias digitais e, assim que eu tiver um maior tempo livre vou me inteirar um pouco mais de tudo aqui que você vem postando por aqui e tentarei sanar algumas dúvidas minhas com você. Sou professora de História e Geografia e sua colega de curso na graduação. Algumas coisas que li aqui, já uso em minhas aulas de Geografia. Vejo que você é uma mulher de sucesso e futuro. Parabéns e continue em frente. Um mundo de oportunidades ainda vai ser descortinado em sua frente. eu creio nisso.
Um abraço e mais uma vez, meus parabéns.
Marcia Ferreira Zaniboni.

Ana Carla Mazzeto disse...

Olá, Márcia. Obrigada! E que bom que você está gostando dos assuntos do blog. Esse mundo das novas tecnologias é maravilhoso. Sempre temos algo a aprender com todos! Bjokas.